Tema Livre

TRABALHOS APROVADOS > RESUMO

Estatinas Estão Associadas à Atenuação da Reatividade Pressórica Arterial ao Exercício em Pacientes com Doença Hepática Gordurosa não Alcoólica

Antonio E. P. Pesaro, Antonio Laurinavicius, Raquel D. O. Conceicao, Marcelo Katz, Marcio S. Bittencourt, Raul D. Santos
HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN - - SP - BRASIL

 

Introdução: Os efeitos pleiotrópicos das estatinas sobre a inflamação e função vascular têm sido amplamente investigados. Estudos prévios sugerem que o uso de estatinas está associado à modesta redução na pressão arterial em pacientes clínicos. Os pacientes com Doença Hepática Gordurosa não Alcoólica (DHGNA) apresentam risco elevado de desenvolver hipertensão arterial sistêmica. Nosso objetivo, nesse estudo, foi testar a associação entre o uso de estatinas e o comportamento da pressão arterial durante o teste de esforço em pacientes com DHGNA.

Métodos: Entre os anos de 2010 e 2015, 8.644 pacientes consecutivos, assintomáticos com DHGNA, realizaram teste ergométrico e extensa avaliação clínica e laboratorial. A DHGNA foi diagnosticada por ultrasonografia abdominal. A hiper-reatividade pressórica arterial durante o teste ergométrico foi definida por uma pressão arterial sistólica > 220 mmHg e / ou por uma elevação ≥ 15 mmHg na pressão arterial diastólica durante o esforço. O uso vigente de estatinas foi registrado de forma sistemática.

Resultados: A incidência de hiper-reatividade pressórica arterial ao esforço foi de 6,5%. Estatinas foram utilizadas ​​por 1.315 pacientes (15,2%). Em comparação com pacientes com pressão arterial normal ao exercício, os pacientes com hiper-reatividade pressórica eram mais velhos, mais frequentemente homens, mais sedentários e tinham taxas mais elevadas de pressão arterial basal, índice de massa corporal, colesterol, triglicérides e glicemia. Após análise ajustada para essas variáveis descritas, o uso de estatinas foi inversamente associado com o risco de hiper-reatividade pressórica arterial ao esforço (OR = 0,73 IC 95% 0,55-0,98; p = 0,035).

 

Conclusões: O uso de estatinas em pacientes com DHGNA foi associado com um menor risco de hiper-reatividade pressórica arterial ao esforço. Nossos achados acrescentam evidências aos estudos anteriores a cerca da relevância clínica dos efeitos pleiotrópicos das estatinas sobre a função vascular.

Realização e Secretaria Executiva

SOCESP

Organização Operacional

Malu Losso

Organização Operacional Expositores

JA Eventos

Organização Científica

SD Eventos

Montadora Oficial

Estande Feiras e Congressos
Estrutural

Agência Web

Inteligência Web

XXXVII Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo

26, 27 e 28 de maio de 2016 | Transamerica Expo Center | São Paulo - Brasil